Onde limite é a virgula e não o ponto.


O Sapo E A Lua

12/12/2014 08:12

O Sapo E A Lua

 

Certa vez,

Um poeta anfíbio

No poente mangue

Coaxou vespertinos segredos:
 

Ano novo que vem
Não haverás - tu verás -
Na virada serei

 

Beijarei tua boca sereia

quarto crescente

calarei

 

Afagarei tua pele mar

quarto minguante

navegarei

 

Após a língua

engravidar o olhar

Após a luz luar

penetrar Lua nova

Rei de ser teu

 

 

 
Texto: Maurício de Carvalho Gervazoni
Imagem: Google Images
Mais: http://www.sem-fronteiras.net/news/amigos/

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!