Onde limite é a virgula e não o ponto.


Carrossel

23/08/2014 07:41

Carrossel 

Galopo corcel de metal
Círculo o mundo

Ilusão que roda
Em duas rodas 

Mil pensamentos 
Escondidas partituras

Emolumentos preservados
Por detrás dos olhos de sol 

São notados raios, 
Reclusos em escuros óculos 

                                Mudos

Carrossel que gira 
Cavalo que leva

À todo lugar volta 
Voltas de lugar algum

Rodopiando diminuto planeta
Matizando velocidade em cores 

Roncando motor de grave celo
Enquanto potência fuma ao léu

Consumindo álcool 
Queimando caiana 

Enfartando artérias 
Entupidas ruas do parque 

E não me importa!
Se morro a cada volta 

Me importa!
Esta voz alvorecer

Esta luz que consome
Romper as lentes

Enquanto o carro ao céu 
Circular a ilusão que ando 

 
 
Maurício de Carvalho Gervazoni
Imagem: Google
 
Leia Mais:https://www.sem-fronteiras.net/news/ausentes/
 
 
 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!