Onde limite é a virgula e não o ponto.


Pé na Areia

30/10/2014 17:29

 

Pé na areia

 

“Deus ao mar o perigo e o abismo deu,

Mas nele é que espelhou o céu.”

Fernando Pessoa

 

Pé descalço

Pé calçando areia.

Planta dos pés de moleque,

planta homem pé no chão

Pés de anjo vestindo búzios,

em pé de guerra com a solidão.

 

Lava pés em salmoura

Aos pés do oceano teu sertão

Ao sopé do Sol uma vereda.

A concha acústica,

pé de valsa à maresia.

 

Agradeça às ondas

As praias de tombo

E mais uma vez,

outra vez e de novo, levanta e pede.

Finca o pé. À vontade no horizonte

Fica em pé.  E vai.

De pé em pé voará longe.

 

Pede a Iemanjá mais um dia

Pede ao mar companhia

E quando a espuma crepitar os pés

Não tenha medo homem

Lembra do menino.

E pede,

           pede,

                      pede...

Pede mais ondas pra brincar

Pede mais vida da cabeça aos pés.

Por fim, todavia

Por toda vida, seja grato ao mar.

 

Texto: Maurício de Carvalho Gervazoni

Mais: http://www.sem-fronteiras.net/news/sem-pe-nem-cabe%C3%A7a/

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!