Onde limite é a virgula e não o ponto.


Ai, ai

18/09/2014 07:49

Ai,ai 

Ai,ai... Amigo 
Para que tudo isto?
 

casa na praia, casa de campo, apartamento maior,

carro importado, segundo carro, condomínio clube,

terno novo, tênis nike, o perfume francês, colares,

anéis, os ornamentos nas casas, móveis e imóveis,

armários embutidos, caixão das caixas de sapatos,

dos cabides das roupas, das gavetas das coisas vis
 

 

Ai, ai... Amigo

Ai,ai...

 

E esta piscina que nunca nada? Nada?
E esta bicicleta que não pedala? A quantas anda?

Para que este Rolex, se o tempo desatinou de si?

Para que tantos brilhantes e vários ouros?

Se você meu camarada já não mais reluz.

 

os ricos livros que não leu, repousam lá na estante

e as crianças que não cuida, mendigam o seu amor

e os amigos que não cativa o solo, lhe desenfloram

e as coisas que tanto cultiva, enrugam os seus dias

e seu corpo hibernando no colchão "king" os meses

e esquifes de armários planejados seu tempo velam



Ai, ai... Amigo

Ai,ai...

 

Para que à coleção de canetas? O que escreve da vida?

Se é só fatura assassinada.

Para que à varanda gourmet? Que prato serve na vida?

Se é só carne no aço assando.

 

Ai, ai... Amigo

ai,Ai...


Para que comprar mais espaço ainda?

Se é da casa própria, da própria casa, escravo a prestação...
Para que esta TV 60 polegadas? Não enxerga?

Meu caro camarada, amigo "Full" HD você é tela plana...
 

doze horas no trabalho, e quatro horas no trânsito,

poucas horas de sono, e banho de gato, cafezinho,

metro lotado, ônibus parado, o analista, faculdade,

dentista final de semana, o convênio, a hora extra,

a academia, os exames médicos, o clube, natação,

futebol, inglês, almoço, insônia toda noite e o divã.

 

Ai,ai... Amigo

Ai,ai...

 

Para que preocupar-se com tanto? Com o que não lhe pertence?

Sobretudo ocupar-se com o que não lhe cabe? 
Já reparou como o travesseiro está pesando agora amigo? 
Como irá sonhar assim?
 

Ai,ai...

Aí meu amigo eu lhe pergunto: Para que sonhar?

 

Se é meia na grama, camisa no cabide; redobrado

Se é a gravata da vida, luva de carinho; algemado

Se é paletó do coração, óculos de sol; emoldurado

Se é cachecol do vento, anel de casamento; pardo

Se é do pertence e não pertence mais; engavetado

Se é dinheiro do amor e propriedade das coisas; dó

 

Ai,ai...

Aí meu amigo eu lhe pergunto: Poderá sonhar?

 

Ai,ai...

Ai,ai...

Aí meu amigo eu lhe pergunto: Para que sonhar?

 

"E toda noite para não desacordar verifica no criado mudo se ainda tem prescrição e aliviado sorri, pois não acabou o Rivotril..."

 
Texto: Maurício de Carvalho Gervazoni
Imagem: Google Images
 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!